terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

“SÍNDROME CONGÊNITA DO VÍRUS ZIKA”: COM OU SEM MICROCEFALIA

Clique aqui para comentar esta publicação



VÍRUS ZIKA: ao microscópio eletrônico, as partículas virais de 40 nm de diâmetro aparecem como pontos pretos



Aumenta a lista de complicações da zika que preocupam cientistas

“Outra mensagem do acompanhamento dessas oito crianças é que o perímetro cefálico ao nascimento pode mentir, a criança pode nascer com o perímetro normal e ter alterações intracerebrais drásticas”, explica o virologista e pesquisador da UFRJ Amilcar Tanuri.

Por isso os casos, agora, serão chamados de ‘síndrome congênita do vírus zika’.


***

Zika pode ter relação com outras complicações congênitas, dizem pesquisadores

“Na história da medicina, todas essas doenças congênitas demoraram um longo tempo para serem desvendadas”, comentou Tanuri. Ele disse que, até o momento, a estimativa é que haja de dois a cinco bebês com microcelafalia a cada 100 grávidas infectadas com Zika.


***

Pesquisa investiga outros efeitos do Zika no cérebro de bebês

De acordo com o pesquisador, o próximo passo será estudar como o Zika agride o tecido cerebral.


***

Conheça as outras complicações em bebês ligadas a microcefalia e zika




***

Além da microcefalia: o que é a Síndrome Congênita do Vírus Zika




******


Gostou? Compartilhe esta publicação nas redes sociais

0 comentários:

Postar um comentário